quinta-feira, 5 de maio de 2011

Liderança

A palavra Líder tem sido muito difundida no mundo corporativo. É a versão mais nova e muito melhorada do antigo “chefe” de antigamente. Chefe, aquele que supervisionava e validava processos e pessoas e punia quando necessário como solução corretiva. Substituída porque, além dessas atribuições, o Líder tem agora em suas mãos uma responsabilidade muito maior, a de GUIAR, CONDUZIR, ORIENTAR, MEDIAR SITUAÇÕES, FOMENTAR TALENTOS, EDUCAR PARA O TRABALHO E PARA A VIDA. Por isso a palavra “Líder” ganhou uma dimensão extraordinária nos processos seletivos.

As empresas procuram gestores com espírito de LIDERANÇA. Pessoas que não trabalham para si. Mas para o “TODO”, o bem estar da equipe. Seu sucesso depende do sucesso de seus colaboradores, por isso, ele trabalha firmemente com um só propósito – Fazer com que as pessoas desenvolvam seus talentos, colocando-os em prática para o crescimento da empresa e pessoal. Por isso, ao se dizer que as pessoas “seguem” o Líder, pois ele é o “exemplo”, constatamos que nos identificamos com os valores desta pessoa e fazemos exatamente as coisas do jeito que ela quer; E o fato de uma pessoa”estar”na condição de Líder, não quer dizer que ela o é. Daí presenciarmos muitos talentos desperdiçados ou perdidos, nas organizações por ausência de Liderança. O verdadeiro Líder é aquele que consegue administrar sua equipe e mantê-la por um longo tempo, fazendo com que elas prosperem e não que precisem ser demitidas.

“Lembrando – Que cada um de nós tem um pouco de líder, nós temos que liderar nossas finanças, nossas opções pessoais, nossos filhos, nossas escolhas e etc.” (blog do administrador)

Autora: Raquel Prado (retirado do site: www.ogerente.com.br)

Nenhum comentário:

Postar um comentário